sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Desnexos essenciais


Um epitáfio quase tão perfeito como aquele que hei-de criar para a minha pessoa é o que O’Neill fez para ele próprio: “Aqui jaz Alexandre O’Neill. Um homem que dormiu muito pouco. Bem merecia isto”.

(uma alma iluminada queira ter a gentileza de me explicar como é que estou a escrever sobre epitáfios, com os quadrícipes a latejar porque o ácido láctico é uma coisa fodida, de phones nos ouvidos com volume máximo, sublinho máximo, a ouvir o Domino da Jessie J em loop, e tudo à uma e trinta da madrugada. Amanhã vou marcar um check-up, prometo-me).


6 comentários:

bluesy traveler disse...

Bem, as coisas que tu sabes, hein?

Gasoline Man disse...

Deixasses-te mas é desses desportos fanchonos e já não te latejavam os quadrícipes!
Além disso, ouvir música com qualidade duvídosa pode causar danos irreversíveis no cérebro (andam por aí milhões de exemplos ambulantes disso)!...
Vamos lá a endireitar e portar como uma homenzinho catano!

Lena disse...

não sou eu a alma iluminada, com toda a certeza, que te vai explicar essa tua escrita macabra a esta hora da madrugada. Só falta dizer que estás a ouvir musica com o fantasma do deitado ao teu lado......já estou como o outro, " ....faz lá o orçamento e deixa-te destas M.... dos blogs "

Miguel disse...

Também vos adoro muito a todos.

Bafejada pelas Musas disse...

A sério? Jessie J? Essa cabeça deve ser o terror, tu marras literalmente com as moças. Lembra-me para não pôr mais miúdas giras no blog, pobres delas....:D


Mas olha que é um epitáfio brutal.

o meu será" Aqui jaz Rita, que não era deste mundo, a modos que voltou a casa."
:D

Miguel disse...

Crie-se um concurso de epitáfios.