sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Do leite


Considerando a mui dificilmente mensurável quantidade de leitores que este blog já possui, facilmente se infere ou até deduz que há uma probabilidade multidigital de entre eles se encontrarem os senhores que mandam lá na cena do leite Matinal e do leite Continente. Assim,

Senhores do Continente, apresento-vos A embalagem. 
Nem tirei uma foto do vosso pacote, para não me agoniar. Mas aquilo é o quê, digam-me lá, é o quê? Já não se usa, aquela abertura nojenta. E o leite sai aos bochechos e na maior parte das vezes caga-me a bancada, isto quando aquela película de alumínio não fica rasgada antes de abrir e depois, depois só com uma faca, sendo que o respectivo buraco fica todo esfodaçado e os bochechos parece que ganham vida própria além de uma característica que muito me arrelia principalmente quando se trata da direcção que os fluidos tomam, que é a imprevisibilidade. Tenham lá juízo, vá lá.





 Senhores da Matinal, apresento-vos O preço.




Agora fazem assim: deixam uma embalagem Matinal e um preço Continente, os dois juntos num quarto escuro durante uma semanita, a ver o que acontece. Aposto que 9 meses depois nasce uma Matinal a 0,52€. Isto é que é a selecção natural de que o outro antigo falava, está bem? E se no final das contas parirem um Continente ao preço Matinal, então comprova-se a teoria de que anda por aí manipulação genética dos alimentos.

Se todo este tecnicismo não resultar, epá arranjem vacas mais baratas, não sei, desengomem-se. Ah e tal, mas o Matinal é seleccionado e o Continente a esse preço não é. Ah meus amigos, queriam que fosse tudo fácil? Se fosse fácil até eu fazia leite. Toca a resolver!

E só por causa das merdas vou ali beber um copo de leite frio.



16 comentários:

Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

Obrigado, Vanessa. A minha professora da primária dizia o mesmo, mas depois perdi-me. Até que cheguei aqui. E continuo perdido.

Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

Já me lixaste, rapariga. Isso é jogo baixo! Ah, e acresce que é plágio. Este blog está a ser tomado de assalto, é só manobras de diversão!

Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

És boa, tu. Mas sabes, gostava tanto, mas tanto que me cerram os olhos mesmo sem dar conta, de ser um grande escritor. Só escritor também me aconchegaria muito. Mas o talento, esse velhaco, abandonou-me mesmo antes de me conhecer. Leio todos os dias coisas tão grandes de gente tão anónima, que me sinto só mais um átomo. E assim vai a vidinha.

Bafejada pelas Musas disse...

LOL Como se consegue começar com uma linguagem tão cuidada e terminar assim?:) Subscrevo o comentário acima, escreves bem.

Miguel disse...

Comecei com linguagem cuidada?! Só se foi no título... de qqr forma, obrigado Musa (ai se a do vídeo me ouve chamar-te Musa...).

Bafejada pelas Musas disse...

Video?:D

"Mui dificilmente mensurável"? "Facilmente se infere"?
"Probabilidade multidigital"?

Não se encontra linguagem semelhante em muitos post´s por aí:)

Miguel disse...

Sim, um vídeo de outro post. Ali para os lados do post do leite, mas mais abaixo, de título Daydreaming.

Bafejada pelas Musas disse...

A sim, a jovem Sara. Perdoa-me mas gosto mais da "Love song"... Penso que é assim que se chama. Essa música soa-me mesmo mal!

Miguel disse...

"Jovem Sara"... hummm... a música soa mal? hum hum... depois meto cá o Love Song, embora desse tema goste mesmo é do vídeo clip. Em todo o caso, sou mais de vídeos de versões live.

Bafejada pelas Musas disse...

Tantos hummm põe uma leitora desconfiada...

Não precisas pôr cá, também já enjoei da outra.. Graças às rádios portuguesas...:P

Anónimo disse...

Nunca me esqueço de uma do teu velho.
"LEITE TIREM-ME DA FRENTE"

El Pinon disse...

Fantástico. És o melhor. És mesmo bom. Nunca vi nada assim. Prémio Nobel para ti. Oba. Iupi.

Miguel disse...

Também te amo muito.